INCC‐M registra variação de 0,52% em janeiro

O Índice Nacional de Custo da Construção – M (INCC-M) registrou, em janeiro, taxa de
variação de 0,52%, acima do resultado do mês anterior, de 0,20%. Nos últimos 12 meses,
o índice registrou variação acumulada de 3,49%. O INCC-M é calculado com base nos
preços coletados entre os dias 21 do mês anterior e 20 do mês de referência. O índice
relativo a Materiais, Equipamentos e Serviços registrou variação de 0,44%. No mês
anterior, a taxa havia sido de 0,23%. No índice referente a Mão de Obra, registrou-se
variação de 0,60%. No mês de dezembro, a taxa foi de 0,16%.
O Índice Nacional de Custo da Construção – M (INCC-M) registrou, em janeiro, taxa de
variação de 0,52%, acima do resultado do mês anterior, de 0,20%. Nos últimos 12 meses,
o índice registrou variação acumulada de 3,49%. O INCC-M é calculado com base nos
preços coletados entre os dias 21 do mês anterior e 20 do mês de referência. O índice
relativo a Materiais, Equipamentos e Serviços registrou variação de 0,44%. No mês
anterior, a taxa havia sido de 0,23%. No índice referente a Mão de Obra, registrou-se
variação de 0,60%. No mês de dezembro, a taxa foi de 0,16%.

Materiais, Equipamentos e Serviços
No grupo Materiais, Equipamentos e Serviços, o índice correspondente a Materiais e Equipamentos
registrou variação de 0,23%. No mês anterior, a taxa havia sido de 0,21%. Dois dos quatro subgrupos
apresentaram acréscimos em suas taxas de variação, com destaque para materiais para instalação, cuja
taxa passou de 0,01% para 0,61%. Contribuiu também para o avanço da taxa do índice o subgrupo materiais
para acabamento (0,06% para 0,14%).
A parcela relativa a Serviços passou de uma taxa de 0,33%, em dezembro, para 1,28%, em janeiro. Neste
grupo, vale destacar a aceleração do grupo serviços pessoais, cuja taxa passou de 0,40% para 2,22%.
Mão de obra
O grupo Mão de Obra registrou variação de 0,60%. No mês passado, a taxa havia sido de 0,16%. Em Belo
Horizonte, este grupo registrou variação de 5,44%, por conta de reajustes salariais ocorridos em função da
data base. Em Recife, com o fim do impacto do reajuste salarial, o grupo Mão de Obra não variou. No mês
de dezembro, a variação foi de 3,50%.
Capitais
Cinco capitais apresentaram aceleração: Salvador, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, Porto Alegre e São Paulo.
Em sentido oposto, Recife e Brasília tiveram desaceleração.
fonte: IBRE/FGV

Deixe um comentário